antónio cunha : fotografia

 

Foi em Beja, sobre a extensão da planície, fecunda em searas e em horizontes, que nasceu para o mundo e para a luz do Alentejo.

Deslumbrado por essa luz, nasceu para a fotografia em 1980, sendo diversas as áreas em que se tem envolvido, entre as quais a história, a arqueologia, a museologia, a etnografia e o fotojornalismo. Mas o maior dos seus envolvimentos é com a terra alentejana e com a sua gente, cujos rostos e cujas superfícies regista desde há muito, acompanhando os dias e os anos, na mutação dos tempos, dos sulcos, da luz, das cores e das sombras que vão passando pelas fisionomias, pelo relevo e pelo coberto vegetal.

Autêntico e profundamente alentejano, mas andarilho do mundo...